Jamie Vardy e Gary Cahill anunciaram, esta terça-feira, a retirada da seleção inglesa. O motivo? Dar lugar às novas gerações.

"Há algum tempo que pensava nisso. Não estou a ficar mais novo, e, para ser justo com o selecionador, ele também quer trazer gente mais jovem, algo que trouxe benefícios no Mundial. Portanto, disse ao Gareth [Southgate] que o melhor a partir de agora é trazer jovens que ele pense que tenham a capacidade de jogar na seleção e, assim, começar a dar-lhes experiência de futebol internacional", disse ao The Guardian o jogador do Leicester.

O avançado, que alinhou 26 vezes pela Inglaterra, pretende agora concentrar-se em “passar tempo com a família e treinar com o clube”.

Vardy adianta, contudo, que este não será um adeus e, definitivo: "Se acontecesse o pior e toda a gente se lesionar, claro que eu jogo."

Já Cahill, outro semifinalista do Mundial 2018, deixa a equipa aos 32 anos e após 61 jogos, ainda que ambos os atletas afirmem estar disponíveis no caso de uma crise de lesões surgir ou de o selecionador, Gareth Southgate, ter poucas opções à escolha.

"No que respeita ao meu futuro na seleção, acho que é altura de parar e creio que este é o momento certo", explicou o central à Chelsea TV.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.