Moçambique venceu Cabo Verde por 1-0, em jogo amigável disputado em Lisboa. O único golo do jogo foi apontado por Clésio Baúque, antigo jogador do Benfica.

No Complexo Desporto do Real Sport Clube, em Massamá e com arbitragem de João Capela, as duas formações com estados mentais diferentes: Cabo Verde chegou a este jogo amigável três dias depois de perder com o Senegal em casa por 2-0, resultado que afastou, de forma definitiva, o sonho dos ´tubarões azuis` em apurar-se para o Mundial2018. De recordar que Moçambique ficou de fora ainda nos play-off de acesso à fase de grupos ao perder nas grandes penalidades com o Gabão por 4-3, depois de vencer em casa e perder fora, ambos os jogos por 1-0.

Da última vez que as duas formações se defrontaram, foi no apuramento para o CAN2015, que Cabo Verde conseguiu, mas Moçambique ficou de fora. Inseridos no F, com Zâmbia e Níger, os Mambas bateram os ´tubarões azuis` em casa por 2-0 e perderam na Praia por 1-0, tendo ficado no 3.º lugar do grupo com seis pontos, menos cinco que Zâmbia e menos seis que Cabo Verde.

Lúcio Antunes, selecionador de Cabo Verde, aproveitou para dar minutos a jogadores que habitualmente não são titulares. Depois do jogo com o Senegal, foram dispensados, Garry Rodrigues, Fernando Varela, Nuno Rocha, Steven Pereira, Jamiro Monteiro, Danilson da Cruz, Wuilito Fernandes e Admar Almeida. Delmiro Nascimento, Kenny Rocha Santos, Kukula, Ballack, Hidelvis, Mario Évora e Jimmy foram chamados. Já Abel Xavier, selecionador de Moçambique, jogou com a sua melhor equipa. Destaque para a titularidade de Clésio Baúque, ex-Benfica e Zainadine Júnior, central titular do Marítimo.

Cabo Verde dominou o encontro e teve as melhores oportunidades de golo mas falhou e muito na concretização. Depois dos primeiros lances de perigo junto da baliza do guarda-redes Guirrugo, Clésio Baúque marcou o único golo do jogo, num remate de fora da área.

No segundo tempo, os ´tubarões azuis` mais tecnicistas, intensificaram o ´assalto` à baliza moçambicana, mas continuavam a falhar na concretização. Aos 58 minutos, Hélder Tavares, jogador do Tondela, falhou o empate, de forma escandalosa, após centro de Ryan Mendes. Moçambique, que apostava mais no contra-ataque, respondeu aos 61 com Raúl, mas Vozinha negou-lhe o golo.

Aos 63 minutos a formação crioula vai desperdiçar a melhor das oportunidades que teve quando Heldon ´Nhuk`, jogador Vitória de Guimarães, falhou uma grande penalidade, por falta sobre Tiago Almeida, ex-Moreirense. O guarda-redes Guirrugo defendeu o remate, a bola sobrou para Ryan Mendes que, só com a baliza pela frente, atirou por cima.

Aos 70 minutos, num contra-ataque de quatro para dois, Clésio poderia ter feito melhor, mas o seu remate saiu para fora. Kenny, que entrou no lugar de Heldon, teve nos pés o empate após bom trabalho de Kukula mas o remate do jogador do Saint-Étienne saiu à figura de Guirrugo, aos 78 minutos. Nos derradeiros minutos os ´tubarões azuis` tudo fizeram para chegar o empate, mas a falta de frescura física e discernimento na hora de decidir não permitiram o tão desejado golo

Cabo Verde só pode queixar-se de si mesmo. Os ´tubarões azuis` voltam a jogar no dia 6 de novembro, no derradeiro encontro de apuramento ao Mundial2018, frente ao Burquina Faso de Paulo Duarte. Ambas a formações já não podem chegar ao primeiro lugar, que dá acesso à fase final da prova.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.