O presidente do Movimento da Sociedade Civil da Guiné-Bissau, Fodé Sanha, apelou à calma às pessoas envolvidas na polémica por causa da eleição do novo da federação de futebol do país.

Fóde Sanha desdobrou-se nos últimos dias em contactos com as partes desavindas a respeitarem os estatutos da Federação de Futebol da Guiné-Bissau (FFGB) e a aguardarem pelo pronunciamento da FIFA.

Num comunicado a que a agência Lusa teve hoje acesso, o presidente do Movimento da Sociedade Civil destaca a importância do futebol "como único elemento que ainda preserva a coesão" entre os guineenses.

O dirigente apela também às partes para respeitarem os estatutos, com calma e ponderação, e que aguardem pelo pronunciamento da FIFA sobre qual a melhor forma de resolver o diferendo.

O Movimento da Sociedade Civil exorta os políticos para se manterem equidistantes das disputas entre os associados da federação, sob pena, alerta, de serem denunciados perante a FIFA.

Em causa, está o facto de um grupo de clubes e associações da federação, que alegam ter elegido, em 25 de julho, o empresário e presidente da Liga Guineense de Clubes de Futebol, Fernando Tavares 'Bené', novo líder da FFGB.

Um outro grupo de clubes e associações da mesma instituição diz que não reconhece aquela eleição e que continua a aguardar que seja marcada uma nova data para a eleição do presidente.

A secretária-geral da federação, Virgínia da Cruz, considera "a suposta eleição do dia 25" como feita fora dos estatutos e ao "arrepio das recomendações da FIFA".

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.