As autoridades ucranianas procuram identificar e encontrar cerca de 20 adeptos do Dínamo de Kiev, como parte da investigação aos insultos racistas dirigidos ao futebolista Taison, do Shakhtar Donetsk, disse hoje a polícia da cidade de Kharkiv.

O médio brasileiro, orientado pelo português Luís Castro no Shakhtar, deixou o campo em lágrimas depois de reagir às palavras que lhe eram dirigidas das bancadas. O jogador efetuou um gesto obsceno em direção aos adeptos, pegou na bola e pontapeou-a para a bancada, tendo sido expulso pelo árbitro.

No final do encontro, Luís Castro solidarizou-se com o futebolista brasileiro, considerando que “qualquer manifestação de racismo é inaceitável” e acrescentando que é preciso “lutar contra esse fenómeno, a cada minuto”.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.