“Eu próprio bem me lembro dessa decepção. Por isso eu e os meus jogadores tudo faremos para tentar compensar os nossos compatriotas dessa decepção”, disse Kim Jong Hun, na antevisão ao desafio de segunda-feira, na Cidade do Cabo.

O técnico recorda o desafio: “Os nossos jogadores para este mundial já viram esse jogo em vídeo, já ouviram falar muito dessa partida histórica. Em 1966, em Inglaterra, estavam a vencer 3-0, claramente em situação de vantagem e vieram a perder 5-3. Poderiam ter progredido para as meias-finais. Na altura ficamos todos muito desapontados”.

Quando questionado sobre os conhecimentos que tem sobre a actual equipa de Portugal, Kim Jong Hun inflectiu a conversa para o seleccionador Carlos Queiroz.

“Não, não conheço o treinador português muito bem. Já acompanhei declarações dele na televisão, mas nunca o encontrei. Não o conheço pessoalmente”, esclareceu, sem responder ao que lhe foi perguntado.

A acreditar no técnico, Cristiano Ronaldo, o melhor futebolista mundial em 2008, não vai ter marcação individual: “É um futebolista de renome, mas não vamos focar-nos muito num jogador. Não vou fazer uma defesa homem a homem e não me vou concentrar num único jogador ou esquema táctico”.

No entanto, na continuação da resposta, entrou imediatamente em contradição quando disse que “uma defesa homem a homem talvez seja necessário e, se assim, o Cristiano Ronaldo será marcado”.

“Vai tudo depender da situação e vamos ter em conta como o jogo vai evoluir”, acrescentou.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.