Em declarações ao site da FIFA, Aimé Jacquet aponta como favorito o Brasil - que terça-feira venceu a Coreia do Norte (2-1) -, mas também a Espanha, e depois defende que pode surgir uma equipa africana, embora considere que a Costa do Marfim tem uma primeira fase muito difícil.

“Têm (as equipas africanas) boas possibilidades de fazer história”, defendeu o treinador.

Jacquet justificou que os marfinenses têm uma equipa excepcional, mas que estão num grupo difícil (com Brasil, Coreia do Norte e Portugal), e que Gana ou Nigéria também podem ter alguns argumentos neste campeonato.

“O Gana é complicado para qualquer um e já o demonstrou (venceu 1-0 a Sérvia) e a Nigéria aguentou-se frente à Argentina, é uma pena que tenha perdido (0-1), porque gostei muito da ambição que mostraram”, acrescentou.

O antigo seleccionador considerou ainda que o jogo de quinta feira entre a França e o México será decisivo, depois dos gauleses terem empatado sem golos no jogo de estreia, frente ao Uruguai.

“Será um jogo decisivo. Se não tiver um bom resultado, não será um bom Mundial para nós”, disse Jacquet, explicando que também é verdade que a França ainda “não mostrou a sua verdadeira cara e que se o fizer pode ganhar”.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.