As circunstâncias em que se verificou essa eliminação, após uma goleada (4-0) imposta pelos alemães, levou a policia argentina a tomar medidas extremas de segurança à chegada da selecção à capital.

Funcionários do aeroporto de Buenos Aires viajaram no avião para antecipar os habituais procedimentos alfandegários durante o voo, para que os membros da comitiva da selecção argentina pudessem sair directamente da aeronave para um autocarro, que os levou para a sede da federação argentina de futebol, sem ter de passar pelo edifício do aeroporto.

A policia bloqueou, também, um troço da auto-estrada de acesso ao aeroporto, de modo a que apenas os passageiros, as tripulações de voos e os trabalhadores daquela infra-estrutura pudessem sair sem problemas.

Isso não impediu, porém, que milhares de pessoas se tivessem disposto ao longo da auto-estrada e nas imediações do aeroporto, muitas das quais com mensagens de apoio ao seleccionador Diego Maradona.

De resto, vários jogadores da selecção argentina pediram a Maradona que continuasse no cargo, apesar da decepção que constituiu a eliminação nos quartos de final do Mundial.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.