O internacional Ramires manifestou hoje o desejo de poder ajudar o Brasil a brilhar no Mundial2010 de futebol e defendeu a estratégia do seleccionador Dunga de fechar os treinos aos jornalistas.

“Trabalho à espera de uma oportunidade. Vou continuar a treinar com esse objectivo para quando tiver a minha hipótese entrar e poder ajudar”, vincou o médio do Benfica.

Autor de dois golos na goleada por 5-1 no particular com a Tanzânia, Ramires defende que na “canarinha” não existe o conceito de titulares e suplentes.

“Todos queremos jogar e isso é importante. Todos estão com o mesmo pensamento. Quando o Dunga precisa, quem entra tem dado um forte contributo à equipa”, frisou.

Pela terceira vez em quatro dias, o Brasil vai treinar à porta fechada, situação que os media do país atribuem a uma retaliação pela divulgação, na sexta-feira, de uma discussão entre Daniel Alves e Júlio Baptista no fim de um treino.

“É uma decisão do Dunga que os jogadores devem respeitar”, resumiu.

O Brasil estreia-se na terça-feira frente à Coreia do Norte no estádio Ellis Park, em Joanesburgo, na primeira jornada do Grupo G, que inclui ainda o Portugal-Costa do Marfim.

A principal estrela do Brasil, Kaká, realizou uma época abaixo das suas capacidades no Real Madrid, mas o lateral direito Maicon acredita que o médio de ataque “vai fazer um grande Mundial”.

“Tenho grande confiança nele, como em todos os meus companheiros. Ele sente-se bem e estou certo de que vai fazer um grande Mundial e ajudar a selecção do Brasil”, que procura o sexto título mundial, acrescentou.

Quanto à Coreia do Norte, o lateral direito do campeão europeu Inter de Milão diz que se trata de “uma equipa rápida e muito forte na marcação”.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.