A selecção chilena, com Matías Fernández a titular, entrou determinada e com vontade de depressa se colocar na frente do marcador.

A equipa mostrou desde o princípio, mobilidade, técnica e grande dinâmica ofensiva. As Honduras remetiam-se mais à defesa e procuravam desenvolver rápidos contra-ataques atráves dos homens mais avançados, principalmente por Pavón, um dos mais inconformados.

O primeiro aviso dado pelo Chile saiu dos pés do jogador do Sporting, Matías Fernández. O chileno bateu um livre directo, com a bola a passar rente à barra da baliza de Valadares.

Sucederam-se as jogadas de ataque do Chile, tendo sido Alexis Sánchez, jogador da Udinese, o maior dinamizador desta formação.

Encostado ora à esquerda, ora à direita, o jovem de 21 anos foi o autor de grande parte dos desequilíbrios ofensivos do Chile.

Aos 33 minutos, surgiu o já esperado golo da formação sul-americana. Matías Fernández fez um grande passe para a direita, a “rasgar” totalmente a defesa hondurenha para Alexis Sanchez. O avançado chileno cruzou e, no sítio certo, Beauséjour encostou para o primeiro golo da partida.

As Honduras tiveram sobre o apito do intervalo a sua maior oportunidade com um livre cobrado por Nunez. A vantagem ao intervalo do Chile justifica-se.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.