O avançado do Uruguai foi eleito o melhor jogador do Mundial 2010 pela FIFA, apesar da selecção sul-americana ter ficado em quarto lugar.

Com um total de 32 remates, 5 golos e uma assistência para golo, o avançado do Atlético de Madrid escreveu mais uma página de ouro na sua carreira ao levar o bicampeão do Mundo Uruguai às meias-finais na África do Sul. A Celeste regressou aos grandes palcos de uma competição Mundial depois de alcançar o quarto lugar no Mundial de 1970, realizado no México.

A votação que determinou o troféu Bola de Ouro foi realizada pelos jornalistas acreditados pela FIFA para o Mundial 2010. Diego Fórlan ficou à frente na votação dos campeões do Mundo, David Villa e Andrés Iniesta, assim como dos finalistas holandeses Wesley Sneijder e Arjen Robben. Fórlan obteve 23,4% dos votos enquanto Wesley Sneijder recebeu 21,8% e o espanhol David Villa, 16,9%.

Com uma técnica apurada e precisão nas finalizações, Diego Fórlan brilhou nos relvados da África do Sul ao demonstrar que é um dos melhores jogadores na actualidade a actuar na sua posição. Dotado de uma visão de jogo e de um faro para o golo acima da média, o avançado uruguaio de 31 anos deixou a sua marca no Mundial 2010 com cinco golos.

Diego Fórlan iniciou a sua carreira de futebolista na Peñarol antes de se transferir para o o Independiente da Argentina aos 17 anos. Em 1998 estreou-se no futebol profissional pelas mãos do técnico César Luis Menotti.

Ao serviço do Independiente marcou 40 golos em 91 jogos entre 1998 e 2001 o que chamou a atenção de grandes emblemas do futebol europeu, nomeadamente de Sir Alex Ferguson que o contratou para o Manchester United em 2002.

Em Old Trafford, Diego Fórlan não conseguiu adaptar-se no Manchester United marcando apenas 17 golos em 98 jogos. Apesar de ter conquistado três títulos pelo United, o avançado do Uruguai foi transferido para o Villareal de Espanha em Agosto de 2004.

No campeonato espanhol Diego Fórlan renasceu no submarino amarelo e rapidamente afirmou-se com um dos jogadores de destaque na equipa de Manuel Pellegrini marcando 25 golos na primeira temporada, o que lhe valeu o prémio de melhor marcador do campeonato espanhol e o prémio Bota Ouro da UEFA.

Depois de três épocas de alto nível no Villareal, Diego Fórlan transferiu-se para o Atlético de Madrid em 2007 onde voltou a brilhar. Na primeira temporada no Vicente Calderón, Fórlan apontou 23 golos ao serviço do Atlético de Madrid. Na época seguinte, Fórlan marcou 35 golos conquistando novamente o prémio de melhor marcador do campeonato espanhol e o troféu Bota Ouro da UEFA.

Esta temporada, o avançado uruguaio voltou a ser determinante nas conquistas dos colchoneros nomeadamente na final da Liga Europa onde marcou os golos decisivos frente aos ingleses do Fulham.
Na selecção, destacou-se pela primeira vez no Mundial de sub-20 em 1999 onde foi titular em sete jogos e autor de um golo.

O primeiro técnico que o convocou para a selecção principal foi Víctor Púa, em 27 de Março de 2002, num amigável frente à Arábia Saudita em Ad-Damman. E foi justamente na estreia que Forlán fez o seu primeiro golo ao serviço do Uruguai, na derrota por 3-2. Meses mais tarde, o avançado foi convocado para o Mundial 2002, onde marcou um golo no único jogo que disputou, empate 3- 3 contra Senegal. O Uruguai acabou por não passar da fase de grupos no Mundial da Coreia e Japão.

Desde então, Forlán nunca deixou de ser convocado para a selecção. Marcou seis golos em 16 partidas durante o apuramento para o Mundial 2006 na Alemanha, mas o Uruguai acabou por não garantir o apuramento. Durante o apuramento para o Mundial 2010, Diego Fórlan marcou sete golos em 13 jogos sendo o melhor marcador do Uruguai na fase de apuramento.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.