"O ecrã está pronto. O que se passou foi que o teste foi feito durante a noite, com tudo a funcionar bem, mas como as diferenças de luminosidade provocam alterações no consumo eléctrico, ao ser ligado esta tarde o quadro disparou", justificou o presidente da Associação de Comércio e Serviços da Região do Algarve (ACRAL), João Rosado, em declarações à Agência Lusa.

Rosado acrescentou que, "como há mais luz durante o dia, o ecrã necessita de mais energia e o quadro, que é uma instalação provisória, não resistiu e disparou", sublinhando que "a mesma situação se verificou em Portimão", onde também o ecrã gigante não funcionou a tempo do início da partida, ao contrário do de Olhão, que funcionou "sem problemas".

"Como uma das entidades responsáveis pela montagem dos ecrãs, queremos pedir desculpa às pessoas que tinham pensado ver o jogo nesses locais. Mas de certeza que Portugal ainda terá muitos jogos neste Mundial e as pessoas terão mais oportunidades de ver os encontros nos ecrãs gigantes", disse ainda o responsável da ACRAL, frisando que o ecrã "já está a funcionar, embora a três quartos, uma vez que não estão os módulos todos ligados".

Meio milhar de pessoas acabou por abandonou o local na baixa de Faro onde foi instalado o ecrã gigante, por não conseguir ver o jogo da primeira jornada do Grupo G do Mundial de futebol de 2010.

Os técnicos e responsáveis pela montagem trabalharam contra o tempo para tentar resolver o problema técnico até às 15:00, hora do pontapé de saída do encontro, mas, 15 minutos depois do início da partida, ainda não tinham conseguido fazer o ecrã funcionar, o que só aconteceu, parcialmente, durante a segunda parte da partida.

A situação motivou os protestos das centenas de pessoas presentes, que optaram por rumar aos cafés e bares das redondezas para poderem ver o jogo.
O ecrã gigante devia ter ficado montado a tempo, ao abrigo de uma parceria entre a Câmara Municipal de Faro e a ACRAL.

A autarquia anunciou segunda-feira que, juntamente com a ACRAL, seria disponibilizado um ecrã gigante no Jardim Manuel Bívar em que seriam "transmitidos todos os jogos do Campeonato de Mundo de futebol a decorrer na África do Sul, nos moldes em que tal foi feito em anteriores competições".

"A ANFARO (Associação de Empresários de Animação Nocturna de Faro) ficará com a concessão dos bares de apoio aos visitantes que se espera que esta organização venha a albergar, estando assim reunidas todas as condições logísticas para que, uma vez mais, sem que isso acarrete custos para a autarquia, os munícipes possam acorrer a este “palco” para presenciar os jogos", podia ler-se no comunicado da Câmara de Faro.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.