Depois de um empate concedido nos instantes finais frente à Nova Zelândia, na primeira jornada, os eslovacos, estreantes em fases finais, não esperam facilidades frente aos centro-americanos.

“O Paraguai é uma equipa compacta e forte. Tem jogadores de qualidade, sobretudo no ataque”, afirmou o seleccionador Vladimir Weiss, acrescentando: “Mas nós também temos as nossas qualidades e vamos tentar aproveitá-las”.

Weiss admitiu que a “tristeza” pelo empate cedido nos instantes finais do primeiro jogo “já passou” e disse que é “preciso rever a táctica para não cometer erros”.

O seleccionador eslovaco acabou por abandonar a conferência de imprensa, quando lhe perguntaram se respeitava a selecção paraguaia.

A questão surgiu depois de alguns jornais do país da América Sul terem noticiado que o Paraguai “não tinha muito respeito pela selecção eslovaca, e esperava ganhar com grande facilidade”.

Sem poder contar com o médio Jonathan Santana, devido a uma contratura muscular na perna esquerda, o Paraguai encara o jogo com os eslovacos moralizado pelo empate frente à Itália.

“Estamos confiantes. Foi muito bom o que fizemos frente à Itália”, afirmou o seleccionador Gerardo Martino, acrescentando: “Precisamos ainda de melhorar a posse de bola e algumas transições”.

Eslováquia e Paraguai defrontam-se domingo, às 13:30 (menos uma hora em Lisboa), no estádio Free State, em Bloemfontein, sob arbitragem de Eddy Maillet, das Ilhas Seycheles.

Mais tarde, em Nelspruit, a Itália joga com a Nova Zelândia, também em encontro da segunda jornada do grupo F.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.