Depois do empate a um golo, sábado, entre a favorita Inglaterra e os Estados Unidos, Argélia e Eslovénia podem isolar-se na frente, estatuto que recairá na equipa que sair vencedora do embate de Polokwane.

Aformação africana cumpre a sua terceira presença na prova, depois de ter ficado pela primeira fase em 1982, apesar de ter batido a RFA (2-1), e 1986, enquanto o conjunto europeu ainda procura o primeiro ponto, após três desaires em 2002.

Os benfiquistas Rafik Halliche e Hassan Yebda, esta época emprestados a Nacional e Portsmouth, respectivamente, são armas do conjunto argelino, que afastou da competição o campeão africano Egipto, sob o comando de Rabah Saadane.

Na formação eslovena, uma das “estrelas” é o médio Nejc Pecnik, jogador do Nacional, que marcou um golo decisivo no “play-off” contra a Rússia.

No que respeita ao Grupo D, a Alemanha, mesmo desfalcada de vários jogadores, entre os quais o “capitão” Michael Ballack, é favorita face à Austrália, mas o conjunto da Oceânia já mostrou em 2006 que pode surpreender.

Por seu lado, a Sérvia, provavelmente com o “leão” Stojkovic no “onze” e o leiriense Djuricic no banco, inicia a primeira participação como nação independente, perante um Gana que, mesmo sem o líder Michael Essien, vai tentar chegar aos “oitavos”, como há quatro anos.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.