Após dois meses e cinco dias, Osvaldo Garcia, que fez o percurso entre Penafiel e Magaliesburg, chegou à África do Sul para entregar a bandeira portuguesa à Selecção Nacional.

“Enfrentei esta aventura para estar junto da selecção e transmitir-lhe o meu apoio total. Homenagear os Xutos e Pontapés, que deram o seu nome ao modelo da moto que utilizo, e, ainda, para pôr em relevo a excelência de um veículo português de pequena cilindrada, que foi capaz de sobreviver a uma viagem duríssima sem avarias, acidentes, furos e com um orçamento muito baixo”, contou, à chegada.

Com 15 quilogramas a menos do que aqueles com que iniciou a viagem de cerca de 18 000 quilómetros, Osvaldo Garcia garante, mesmo assim, que esta aventura “foi mais fácil do que pensava”.

Em Magaliesburg, conseguiu o que desejava e foi recebido pela selecção, com quem teve oportunidade de confraternizar.

“Adorei a forma como fui recebido, as lembranças, o poder ter estado junto dos jogadores, ser fotografado com eles. Agora vou descansar alguns dias e no próximo domingo regresso a Portugal... de avião. Esta foi a viagem de uma vida. Uma aventura que, provavelmente, não volto a ter oportunidade de repetir”, concluiu.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.