“Procurámos fazer o nosso jogo de sempre: trocar a bola com rapidez e sempre que possível sair para o ataque”, começou por dizer um dos jogadores mais pretendidos deste defeso, revelando ainda que o Brasil teve uma abordagem diferente da primeira para a segunda parte.

“O segundo tempo foi diferente do primeiro, até porque o 0-0 nos dava o primeiro lugar do grupo. Julgo que fizemos um trabalho muito bom.”

Quanto à dureza de alguns momentos da primeira parte, o internacional canarinho disse que são coisas normais e que os jogadores têm de tentar refrear.

“Às vezes acontecem jogadas mais ríspidas, mas ainda bem que ninguém foi expulso ou saiu magoado”, concluiu.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.