O guarda-redes da Inglaterra, hoje protagonista de um “frango” que deu o empate 1-1 diante dos Estados Unidos, na primeira ronda do Grupo C do Mundial de futebol de 2010, reconheceu não ter qualquer desculpa.

“Não tenho qualquer desculpa. Mas é a vida. Quero representar o meu país enquanto for possível, mas se tiver de pagar por este erro... Assumo a responsabilidade”, disse o guarda-redes do West Ham.

O treinador italiano da Inglaterra, Fabio Capello, afirmou ainda não ter decidido se Green iria continuar na baliza ou ser substituído por David James ou Joe Hart, na próxima partida, diante da Argélia, sexta-feira.

“Tenho de encarar isto de forma que não me afecte, qualquer que seja o número de jogos que vá disputar. Tenho de manter a cabeça para cima. Tenho 30 anos, não sou um rapazola. Já fiz outros erros no passado”, concluiu Green.

A Inglaterra inaugurou o marcador aos quatro minutos, por intermédio de Steven Gerrard, mas um remate sem grande potência e de longe de Clint Dempsey, aos 40, foi mal bloqueado por Green e estabeleceu o 1-1 final.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.