Em visita ao continente africano, Guus Hiddink disse estar convencido de que a África do Sul fará um bom papel como anfitriã do torneio, sublinhando que os Bafana Bafana podem ser uma grande surpresa para os adversários que os subestimarem.

"A preparação é importantíssima para qualquer país que dispute o Mundial, e é essencial que a África do Sul se prepare bem para o evento", disse o holandês.

"É preciso encontrar o equilíbrio certo e montar não uma equipa forte, mas uma equipa equilibrada. [Carlos Alberto] Parreira é um dos técnicos mais experientes do futebol actual e ele sabe como preparar uma equipa."

Quanto à escolha pela África do Sul como cenário para este Mundial, Hiddink diz que foi a mais acertada:

"É um país fantástico e com óptima infra-estrutura. Não tenho dúvida de que as selecções ficaram impressionadas com as instalações que encontrarão ao chegarem à África do Sul para a Copa do Mundo. O torneio foi dado a um país africano na hora certa e, olhando o continente como um todo, a África do Sul continua sendo a melhor escolha."

A selecção sul-africana fará o jogo de abertura contra o México no dia 11 de Junho no Estádio Soccer City. Depois, enfrenta o Uruguai no Estádio Loftus Versfeld em Tshwane/Pretória e a França no Estádio Free State em Mangaung/Bloemfontein. Hiddink disse ser importante que os anfitriões tenham um "começo perfeito" caso queiram avançar no torneio.

Importante, segundo o treinador, é que o público seja também um elemento de apoio:

"A claque é a camisa 12 que pode alçar a equipa a um outro nível, mas às vezes a pressão pode afectar os jogadores de maneira negativa. O importante é que a campanha tenha um começo perfeito, para estabelecer a base", terminou o ex-seleccionador da Austrália.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.