Deco foi apenas utilizado frente à Costa do marfim, a 15 de Junho, no jogo de estreia, não sendo esta a “despedida imaginada”, ressalvando que o mais importante teria sido “a vitória de Portugal”.

“Infelizmente, não volto a jogar mais, por razões pessoais. Mas eu vou estar sempre a torcer pela selecção e desejo sorte. Além de amigos que deixo, vou sempre torcer por Portugal. Vai estar sempre no meu coração”, disse Deco.

Quanto ao ambiente vivido na selecção, com a “explosão” de Ronaldo na zona mista, pedindo aos jornalistas que “falem com o Carlos Queiroz”, Deco garantiu que “entre os jogadores” há bom ambiente e não quis remexer nas declarações proferidas após o primeiro jogo.

“Neste momento não é correcto discutir a decisão. Da minha parte nada mudou, depois das primeiras declarações. Pedi desculpa e para mim tudo ficou resolvido. Se houve castigo ou isso, não sei, mas penso que não”, finalizou Deco.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.