Com o empate a dois perante a Nigéria, a Coreia do Sul classificou-se no segundo lugar do grupo B de qualificação ganho pela Argentina e vai agora defrontar o Uruguai num fase que também alcançou em 2002 no mundial de futebol que co-organizou com o Japão.

O presidente sul-coreano, Lee Myung-bak, felicitou a selecção por conseguir pela primeira vez ultrapassar a fase de grupos num mundial fora de portas.

“A visão dos ‘guerreiros de Taeguk’ – o nome de guerra da formação da Coreia do Sul – lutando até ao último momento sem perder a concentração, dá-nos coragem e esperança” indicou o presidente Lee Myung-bak citado pela agência Yonhap.

Cada jogador da Coreia do Sul vai receber da associação de futebol do país 170 milhões de won ou 117 mil euros.

Na Coreia do Sul, e apesar do jogo ter sido transmitido às 03:30 de hoje, mais de meio milhão de pessoas manteve-se acordada para assistir em ecrãs gigantes instalados nas principais cidades ao encontro com a Nigéria.

Milhares vestiam-se de vermelho, as cores da selecção, apesar de reconhecerem que logo pela manhã teriam de ir trabalhar.

A imprensa sul-coreana destaca também que o Uruguai será um difícil obstáculo a ultrapassar no sábado e aponta Diego Forlán e Luis Suárez como as maiores ameaças para a defesa da Coreia do Sul.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.