Depois do empate entre Estados Unidos e Eslovénia, a Inglaterra tem hoje a oportunidade de igualar os eslovenos no comando do grupo C. No entanto, a tarefa está a revelar-se muito complicada, em virtude da boa réplica da Argélia.

Fabio Capello trocou de guarda-redes – Green saiu, depois do ‘frango’ com os EUA, e entrou David James -, mas não é na baliza que os ingleses estão esta noite a revelar mais dificuldades.

Com efeito, é na ligação entre o meio-campo e o ataque que a ‘máquina’ acusa grãos de areia na engrenagem. Nem com Gerrard, Lampard e Rooney em campo os ingleses estão a encontrar o caminho da baliza de Bolhi.

Naturalmente, face ao maior poderio, a Inglaterra entrou mais dominadora e Gerrard assustou o guardião argelino com uma tentativa de chapéu logo aos quatro minutos. O ‘pressing’ inicial foi uma realidade nos primeiros minutos, mas cedo se desvaneceu, com a Argélia a mostrar-se cada vez mais aventureira.

Quase sempre através de contra-ataques rápidos, os argelinos espalhavam o pânico na defesa inglesa, que não escondia algum nervosismo. Yebda deu um primeiro aviso de cabeça, aos 20’, e Ziani, aos 35’, atirou forte mas ao lado.

Entretanto, já a Inglaterra desperdiçara também algumas ocasiões, nomeadamente por Gerrard (30’) e Lampard (32’). Quanto a Rooney, a grande esperança inglesa neste Mundial, continua alheado do jogo e sem receber a bola em boas condições, excepção feita a um remate de longe aos 42’.

Para um alegado favorito no Mundial2010 exige-se mais futebol e nem a presença dos príncipes Harry e William no estádio parece inspirar a selecção. Já a Argélia tem ainda mais 45 minutos para resistir e, quiçá, juntar-se ao lote de vencedoras surpreendentes nestes últimos jogos da competição.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.