“Repararam nos jogadores do ‘banco’? Mostraram que são profissionais a cem por cento. Defendemos a camisola da Argentina e aqueles que se equivocaram, criticando-nos na fase de qualificação, que peçam agora perdão”, disse Maradona, que comentou ainda a controversa Jabulani.

O seleccionador argentino considerou-a “impossível de controlar”, uma vez que “o vento leva-a”, numa alusão à leveza da bola.

O seleccionador da Grécia, o alemão Otto Rehhagel, reconheceu hoje a “superioridade da Argentina” que bateu a selecção grega, por 2-0, na última jornada do grupo B do Mundial2010 de futebol.

“Tentámos evitar que eles marcassem e a verdade é que conseguimo-lo durante muito tempo. O objectivo era localizar a batalha no meio campo, mas tivemos de recuar e defender mais atrás”, explicou Rehhagel, para quem esse recuo “trouxe problemas” à Grécia, que esta “tentou resolver”, mas no final venceu “justamente a melhor equipa”.

O treinador alemão acrescentou que a Grécia não dispõe das opções do “banco” da Argentina: “Não temos um Milito no nosso ‘banco’ e tivemos de fazer alterações de um momento para o outro”.

Apesar da eliminação, Rehhagel “não se mostrou desiludido”, até porque a Grécia conseguiu qualificar-se para a fase final, “coisa que outras grandes selecções do continente europeu não lograram”.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.