"Foi um jogo muito tenso, mas sabíamos perfeitamente que se conseguíssemos em campo o nosso jogo, e atacar, conseguíamos ganhar. Fomos superiores durante 90 minutos", disse o treinador dos alvicelestes.

Maradona felicitou a sua equipa, que "fez muito bem as coisas". "Mantivemos a posse de bola e sabíamos que com a táctica que colocámos iam quebrar a qualquer momento".

Javier Aguirre, seleccionador do México, evitou comentar a decisão polémica do árbitro Roberto Rosetti, que validou um golo em fora de jogo à Argentina.

"Não quero falar dos árbitros", assegurou Aguirre, admitindo no entanto que esse golo "desorientou e desconcentrou" a equipa mexicana.

"É evidente que o segundo golo é o produto do primeiro, não é uma acção lógica. Com 2-0 contra a Argentina nos oitavos de final, fica difícil. Nos últimos 40/50 minutos não perdemos a face, terminámos com dignidade", acrescentou.

Aguirre entende que o México "foi superior nos primeiros minutos", mas que depois sofreu um golo em fora de jogo e cometeu um erro defensivo. "Dois erros que mudaram drasticamente o curso da partida, perdemos organização, desconcentrámo-nos".

O argentino Carlos Tevez, autor de dois golos, um dos quais o da polémica, considerou "importante" o apuramento para a fase seguinte.

"Tinha de ser eficaz, é essencial para a equipa, agora é preciso descansar para os quartos de final contra a Alemanha", disse Tevez, comentando os golos marcados.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.