“Contra a Nigéria vamos começar a construir um sonho”, disse Maradona, abordando a possibilidade da Argentina voltar a conquistar o título mundial 24 anos depois.

O seleccionador argentino elogiou ao máximo dos seus jogadores – “são uns monstros, uns guerreiros e confio em todos os 23... morro por eles” – e disse que sábado estará a cumprir um “sonho de vida”.

“Por tudo o que fiz pelo país, mereço estar aqui, assim como merecem outros que contribuíram com sacrifício, sangue e coragem”, explicou.

Diego Armando Maradona reconheceu qualidade à equipa nigeriana, treinada pelo sueco Lars Lagerback, e pediu aos árbitros atenção às entradas duras, numa defesa clara à excelência de Lionel Messi.

Do lado da Nigéria, o seleccionador Lars Lagerback, que iniciou o seu trabalho em Fevereiro, garantiu que a preparação "não está atrasada".

"A minha experiência de cinco torneios diz-me que a preparação correu bem. Estou totalmente satisfeito", disse.

O avançado do Lokomotiv de Moscovo Peter Odemwingie enalteceu a qualidade da selecção de Messi e Di Maria, mas também recordou que a formação africana foi semi-finalista da Taça das Nações Africanas, sendo, por isso mesmo, “forte e com carácter”.

“Se pensarmos no colectivo, podemos fazer bons resultados. As individualidades, por si só, nada fazem. Somos uma equipa muito móvel e que pode perfeitamente criar problemas a qualquer selecção”, concluiu.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.