O jogo foi bastante pobre e nem o formato do encontro, que foi jogado em três períodos de trinta minutos, com oito de descanso entre cada um deles, ajudou a que se pudesse ver um futebol mais competitivo e vistoso.

Por outro lado, os dois seleccionadores resolveram poupar ou “esconder” alguns dos seus melhores jogadores e optaram por dosear esforços com constantes substituições, que retiraram fluidez ao jogo das duas equipas.

Ganhou o Chile porque, no meio da mediocridade que caracterizou o jogo, foi a equipa que mais dominou e que maior número de lances de perigo criou.

Matias Fernandez foi substituído aos 84 minutos por Gutierrez, mas na selecção chilena alinhou outro jogador com ligações ao Sporting, Rodrigo Tello, que foi campeão ao serviço dos “leões” na época 2001/02.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.

Ajude-nos a melhorar o SAPO Desporto