O último jogo, e também o último grande teste do estádio de Durban, onde Portugal e Brasil vão disputar o último jogo da fase de grupos do Mundial 2010, vai realizar-se na próxima segunda-feira. O concorrido clássico entre os Kaiser Chiefs e os Pirates esgotou em menos de 12 horas e em Durban os sul-africanos lamentam não ter conseguido um lugar neste encontro histórico.

As duas equipas jogam a semi-final da Taça TelKom sul-africana. Mas este jogo, por ser dos mais concorridos da África do Sul, servirá também para testar em toda a força a capacidade do novo estádio Moses Mabhida.

Depois deste jogo, tal com disse ao Sapo Desporto a coordenadora do Mundial 2010 da cidade de Durban, Julie-May Ellingson, “o estádio será preparado e entregue à FIFA para o Mundial 2010”. É neste estádio que se realiza um dos jogos mais importantes do campeonato do mundo. O Portugal vs Brasil foi o primeiro jogo a esgotar e continua a ser definido como o jogo do campeonato. Este grandioso estádio impõe-se na cidade de Durban e dá à província de Kwazulu-Natal uma nova dinâmica.

Em redor do estádio as lojas de merchandising e as filas para subir ao topo do arco, através de um moderno elevador, dão vida a este palco mesmo durante a semana. Para os mais aventureiros há ainda a possibilidade de fazer um salto de bumjee jumping do alto do arco deste estádio.

As visitas guiadas a todos os cantos da arena são também um foco de atracção para os sul-africanos e turistas que fazem questão de ver bem perto o local onde vão actuar as maiores estrelas do futebol mundial. Nestes locais, o nome de Cristiano Ronaldo é incontornável. “Cristiano é o maior, é tão giro”, dizem sem vergonha as guias do estádio ou empregadas de restaurante em Durban.

Algumas delas envergando a camisola da selecção portuguesa. Por vezes tentam mesmo adivinhar em que banco do balneário se irá sentar o craque português.

O Mundial 2010 está a chegar, um pouco por toda a África do Sul já só se respira futebol e o nome de Portugal é incontornável nas conversas que os sul-africanos têm sobre o campeonato. Para já, e enquanto o campeonato do mundo não arranca, o Moses Mabhida vai ouvir soar as vovuzelas através do sopro dos adeptos dos Pirates e dos Chiefs.

Depois, é preciso dar descanso ao relvado que, neste momento, entre os três onde Portugal joga a fase de grupos, é dos que se encontra em piores condições.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.