“Às vezes ganha-se e outras vezes perde-se. Nem sempre os jogos correm como esperamos. Mas não haverá consequências nenhumas para nós caso percamos”, vincou.

O país governado pelo “querido líder” Kim Jong-Il, um dos mais fechados ao mundo exterior, é conhecido pela forma severa como trata aqueles que não conseguem honrar o país no estrangeiro.

De qualquer forma, o seleccionador tem outros planos, pois acredita que a sua equipa pode passar à fase seguinte.

“No nosso caso, achamos que uma façanha no Campeonato do Mundo seria passar aos oitavos de final. É esse o nosso objectivo principal. E, uma vez nos oitavos de final, seria maravilhoso passarmos aos quartos”, revelou.

Confiança há de sobra: “Faltam-nos mais dois jogos nesta fase de grupos e vamos enveredar todos os nossos esforços para pontuar nos dois jogos que nos faltam (Portugal e Costa do Marfim). É esse o nosso propósito principal”.

“Claro que queremos obter resultados positivos, mas se não alcançarmos esses objectivos será de todas as maneiras uma grande experiência se conseguirmos passar aos oitavos de final”, concluiu.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.