A Federação Portuguesa de Futebol vai ter um prejuízo de cerca de 1 milhão de euros quando fechar a contabilidade referente à participação da selecção portuguesa no Mundial 2010. A FIFA vai dar a Portugal cerca de 7,2 milhões de euros, por ter atingido os oitavos-de-final do Mundial 2010, quantia que não chega para equilibrar os gastos totais da Federação portuguesa de futebol.
FPF vai pagar fortuna a Queiroz pelos oitavo-de-final

De acordo com o diário Record, a Federação irá pagar mais de 3 milhões de euros em prémios à equipa técnica e jogadores. Carlos Queiroz vai receber cerca de 720 mil euros, quase o dobro do que recebeu Scolari pelo segundo lugar no Euro 2004, enquanto os jogadores (25) recebem cerca de 100 mil euros cada, Nani e Zé Castro inclusive.

No contrato do seleccionador nacional, com a Federação portuguesa de futebol, está estipulado que o técnico recebe 10 por cento da verba paga pela FIFA à entidade portuguesa pela participação de Portugal no Mundial. Carlos Queiroz vai receber da FPF cerca de 720 mil euros por ter levado Portugal aos oitavos-de-final do Mundial 2010.

A Rádio Renascença adiantou que na discussão do contrato, Queiroz começou por exigir 15% à FPF, mas acabou por aceitar 10%, na conclusão do mais oneroso contrato de trabalho da história da instituição.

De acordo com o Record, a Federação Portuguesa gastou cerca de 4 milhões de euros só em custos de preparação do Mundial 2010. A entidade liderada por Gilberto Madaíl, utilizou dois hotéis durante o estágio na Covilhã, que durou três semanas, e teve a trabalhar no apoio à equipa a maior comitiva de sempre, contando com treinadores auxiliares sul-africanos, escolhidos pelo seleccionador nacional, assim como diferentes observadores de jogo. Na fase de apuramento para o Mundial 2010, entre Setembro de 2008 e Novembro de 2009, a Federação portuguesa gastou apenas cerca de 1,5 milhões de euros, verba inferior aos 4 milhões de euros gastos nos últimos 2 meses.

Para que Federação portuguesa de futebol não entrasse em prejuízo, com a participação de Portugal no Mundial 2010, Portugal teria que chegar aos quartos-de-final da prova, patamar em que receberia da FIFA 14,4 milhões de euros.

O presidente do Sindicato de Jogadores, Joaquim Evangelista, citado pela Bola Branca, afirmou que é difícil de compreender a lógica dos prémios, naquele que é um acto de má gestão da FPF.            

Bola Branca também ouviu o histórico dirigente Azevedo Félix, desde sempre um apoiante incondicional de Carlos Queiroz, mas que não deixa de olhar para este prémio com desconfiança e perplexidade. Azevedo Félix entende que ultrapassa as marcas, ainda para mais, num país em crise profunda.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.