Lesionado a 12 de Dezembro, enquanto representava o Real Madrid, o luso-brasileiro não voltou a jogar até hoje, tendo entrado aos 76 minutos para o lugar do seu concorrente directo, o “trinco” Pedro Mendes.

Como tinha anunciado segunda-feira, o seleccionador luso, Carlos Queiroz, deu minutos de jogo (14 no tempo regulamentar, mais quatro de descontos) ao defesa central, que na selecção se fixou a “trinco”.

A ideia agora é recuperar o ritmo competitivo do influente futebolista para a estreia na competição, a 15 de junho, frente à Costa do Marfim, em Port Elisabeth.

Pepe é um dos indiscutíveis de Queiroz: cumpriu a totalidade de 11 dos 12 jogos de qualificação e com grande versatilidade, pois cumpriu cinco como defesa central (incluindo os quatro primeiros) e seis como trinco, posição para a qual derivou a partir do embate com a Suécia, no Porto.

A grave lesão no ligamento cruzado anterior do joelho direito colocou em risco a ida à África do Sul, mas a sua determinação e espírito de sacrifício permitiram-lhe recuperar em tempo quase recorde e com isso está apto a representar Portugal, no que é o seu primeiro Mundial.

A grande questão continua a ser até que ponto está em condições de competir ao elevado nível a que sempre habituou os adeptos de futebol.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.