Portugal joga o terceiro encontro de preparação para o Mundial2010 com o Moçambique, no Wanderers Stadium, em Joanesburgo, e parece ter esquecido o futebol mais colorido que imprimiu na semana passada, na Covilhã, ante os Camarões.

Uma primeira parte lenta e aborrecida, onde as vuvuzelas sopradas pelos adeptos nas bancadas, maioritariamente vestidas de verde e vermelho, dão ruído a um futebol muito semelhante ao que Portugal praticou no primeiro encontro amigável com Cabo Verde.

Quanto ao primeiro tempo, a falta de ideias imperaram, e os primeiros 20 minutos pareciam jogo-treino.

Ao minuto 16, houve jogada susceptível de grande penalidade, por falta sobre Deco, mas o árbitro assim não entendeu e deu pontapé-de-canto.

Danny, que hoje joga no lugar de Cristiano Ronaldo, ao minuto 25, e Liedson, aos 33’, poderiam ter feito, ambos de cabeça, dois golos para Portugal. O primeiro saiu ligeiramente ao lado da baliza de Moçambique e o segundo foi brilhantemente defendido por Lamá, que cedeu canto.

Do lado moçambicano, o lance de maior perigo aconteceu aos 39 minutos, quando Hagy rematou com estrondo ao poste, que ia surpreendendo Eduardo.

Portugal precisa apenas de um golo para chegar à marca dos 800 golos, neste que é o 500º jogo de Portugal.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.