Expectativa e ansiedade são as duas palavras que definem a Selecção Nacional na véspera de entrar em campo.

“Acho que o primeiro jogo é mais importante que o último. Vencer o primeiro é fundamental, porque traz tranquilidade. Sabemos que temos três jogos e que duas vitórias chegam para passar, pelo que ganhando o primeiro fica mais fácil”, disse Deco.

Para o médio, que fará na África do Sul o seu último Mundial, a ansiedade poderá não ajudar a “goleadas” nos primeiros jogos.

“Acho que é natural, até pela ansiedade do primeiro jogo. Em teoria, as selecções podem jogar com mais precaução no primeiro jogo. A partir do momento em que chegarmos à segunda fase, vai haver mais golos”, afiançou.

Quanto à lesão de Nani, que à chegada a Lisboa no domingo revelou que estava apto a jogar, Deco não perdeu muito tempo em comentários.

“Não sei qual a opinião dos médicos. O que sei e o que ouvi é que tinha uma fractura e seria difícil de recuperar a tempo para jogar. Nós, os jogadores, falámos com o Nani, mas não temos essa informação. Para qualquer jogador que sai, a frustração é grande. Saiu daqui e se calhar achava que podia jogar”, referiu.

A Costa do Marfim é o primeiro adversário, Deco garantiu que a equipa das quinas sabe “como jogam e o que fazer”, tecendo elogios ao a Eriksson, treinador dos Elefantes.

Do outro lado está Drogba, ainda em dúvida.

“Não falei com o Didier. Portanto, não sei se joga. Espero que sim. É um amigo e um grande jogo. Se ele jogar será bom para o jogo”, referiu Deco, sobre o seu colega no Chelsea.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.