Em entrevista ao jornal A Bola, Deco diz não se arrepender de ter escolhido representar a selecção portuguesa, mas não muda em nada aquilo que disse anteriormente: “Jogar por Portugal era o que mais queria e não me arrependo nem me arrependerei dessa decisão (…) Pelos vistos houve gente que ficou chocada por eu ter dito que sou brasileiro, mas não sou hipócrita para dizer que sou português, porque não nasci cá.”

O internacional português deixa ainda uma certeza: “As pessoas podem ter certeza de uma coisa: estou na Selecção de corpo e alma e tenho um intenso sentido de gratidão a Portugal, se calhar até mesmo mais do que alguns portugueses”

Deco vai mais longe e revela sentir-se magoado pelo facto de as suas palavras terem sido mal interpretadas: “Sinto que estou no mesmo barco da Naide Gomes e do Obikwelu: quando ganhamos somos portugueses, quando perdemos somos estrangeiros! Quando ganhei troféus, falavam de mim como o internacional português, mas quando havia notícias menos agradáveis, como derrotas ou lesões, dizia-se e escrevia-se jogador brasileiro. Só deixo um exemplo: o maior ídolo do futebol no País não nasceu em Portugal”.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.