Em apoteose e perante um grito colectivo de centenas de milhares de pessoas, os 23 jogadores da selecção espanhola de futebol foram hoje saudados, no centro de Madrid, 24 horas depois de se sagrarem campeões do Mundo.

Centenas de milhares de pessoas estão no local, algumas desde as 10:00, e a aglomeração da multidão levou mesmo as autoridades madrilenas a apelar para que mais ninguém fosse para a zona.

Já no palco, os jogadores espanhóis deram um banho com cava à multidão, deixando depois breves palavras de saudação.

“Graças ao polvo fomos campeões”, disse Iniesta, herói da final (marcou o golo com que Espanha conquistou o mundial).

“Estamos encantados por estar aqui. Conseguimos outro sonho que tínhamos desde que éramos pequenos. É um orgulho ser o capitão desta equipa”, afirmou Iker Casillas.

Depois, foi a vez de Pepe Reina, o guarda-redes suplente, apresentar um por um os jogadores, incluindo na apresentação de Llorente uma referência a Portugal.

“É o canhão da Roja. Os centrais de Portugal pareciam pins de bowling. Destruiu os quatro, os cinco”, disse.

A festa está instalada em Madrid desde que o árbitro deu o apito final no encontro de domingo, em que a Espanha derrotou a Holanda por 1-0, após prolongamento.

A multidão interrompeu, durante a manhã, as celebrações, mas regressou depois a todos os locais por onde passou a selecção, desde que aterrou em Madrid cerca das 14:50 locais (menos uma hora em Lisboa).

Os jogadores, que foram recebidos em cerimónias oficiais pelo rei Juan Carlos e pelo primeiro-ministro José Luis Rodríguez Zapatero, viajaram depois acompanhados por multidões sem precedentes por algumas das ruas mais emblemáticas de Madrid.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.