“Ganhámos bem, controlámos o jogo praticamente de princípio ao fim, mas na primeira parte deveríamos ter conseguido marcar mais golos”, disse o técnico argentino da selecção do Paraguai no final da partida.

Para Martino, o Paraguai, onde alinha o benfiquista Oscar Cardozo [entrou aos 82 minutos] “baixou o nível no início do segundo tempo e o jogo tornou-se aborrecido”.

“Inclusive chegou a passar-me pela cabeça a possibilidade de a Eslováquia poder empatar. No futebol pode sempre marcar-se [sofrer-se] um golo”, disse, concluindo: "Foi um bom triunfo, que nos aproxima do objectivo da qualificação, mas não nos faz pensar que já está tudo resolvido”.

O treinador da Eslováquia, Vladimir Weiss, reconheceu a justiça do resultado e a superioridade do jogo dos paraguaios.

“Eles foram melhores do que nós. O jogo era importante para a nossa equipa mas, infelizmente no final estamos todos tristes”, disse.

Para Weiss, os jogadores do Paraguai “foram mais rápidos nos duelos e isso explica a derrota”.

“Vamos dar tudo no último jogo [frente à Itália], mas estamos conscientes que é muito difícil aspirar à qualificação”, afirmou Vladimir Weiss.

Ao Paraguai basta empatar frente à Nova Zelândia para assegurar um lugar nos oitavos de final, enquanto a Eslováquia está em posição mais difícil para continuar em prova, tem um ponto e vai defrontar a Itália, campeã do Mundo em título.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.