Em 2006, na Alemanha, Simão marcou ao México (2-1) e Ronaldo ao Irão (2-0), sendo que, então, ambos facturaram na transformação de grandes penalidades.

Face à Coreia do Norte, o jogador do Atlético de Madrid apontou o segundo tento, aos 53 minutos, e o futebolista do Real Madrid o sexto, aos 87.

Por seu lado, Tiago, autor do quarto tento e do sétimo, registou o terceiro “bis” de um jogador luso, depois dos conseguidos em 1966 por José Augusto (face à Hungria) e Eusébio (Brasil, 1966).

Melhor fizeram Pauleta, que conseguiu um “hat-trick” face à Polónia (4-0, em 2002), e o “rei” Eusébio, autor de quatro golos em outro célebre encontro com a Coreia do Norte (5-3, após 0-3, em 1996, nos quartos de final).

Raul Meireles (29 minutos), Hugo Almeida (56) e o suplente Liedson (81) apontaram os outros tentos lusos.

O melhor marcador português em Mundiais é o “rei” Eusébio da Silva Ferreira, autor de nove tentos em 1966, em Inglaterra, prova do qual saiu como melhor marcador.

Além de Eusébio, mais sete jogadores portugueses marcaram mais de um tento em fases finais: Pauleta (quatro golos), José Augusto e Torres (ambos três) e Maniche, Simão, Cristiano Ronaldo e Tiago (todos dois).

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.