Holanda e Japão iniciaram esta tarde a segunda jornada do grupo E e no estádio Moses Mabhida, em Durban, pôde assistir-se a um jogo equilibrado, pautado pelos holandeses e em que a sua maior experiência nestas andanças acabou por prevalecer.

Desde cedo no jogo se percebeu que as duas equipas encaixavam que nem uma luva: o Japão concedeu deliberadamente a iniciativa de jogo aos holandeses, mas sempre que pôde não enjeitou a possibilidade de espreitar o ataque e criar perigo junto à baliza de Maarten Stekelenburg.

No entanto, o primeiro lance de algum perigo surgiu mesmo perto da baliza dos nipónicos, com Sneijder a rematar por cima da trave após um livre directo, quando estavam decorridos 8 minutos.

O Japão respondeu logo de seguida, com Nagatomo a concluir com um bom remate uma jogada de entendimento bem delineada pela equipa nipónica.

Até ao fim do primeiro tempo escassearam as oportunidades para os dois lados e a bola apenas rondou com algum perigo as balizas aquando de lances de bola parada.

No começo da segunda parte Van Persie podia ter colocado os holandeses na frente, mas nas duas ocasiões o remate - primeiro de cabeça e depois de pé esquerdo – saíram frouxos ao avançado do Arsenal.

A Holanda entrou mais pressionante no jogo e quando estavam decorridos 8 minutos do segundo tempo, Sneijder contou com a ajuda preciosa do guarda-redes japonês para colocar a Holanda na frente.

O médio do Inter de Milão apanhou uma sobra à entrada da área e encheu o pé direito. Kawashima possivelmente não viu a bola partir mas fica muito mal na fotografia, depois de se fazer à bola e acabar por desviá-la para dentro da baliza.

Aguerridos como é seu estilo, os japoneses não baixaram os braços e partiram em busca do empate. Aos 65’, Okubo, com um remate fora da área, quase surpreendeu Stekelenburg, mas a bola saiu um pouco ao lado do poste direito da baliza laranja.

Os nipónicos tentaram resgatar o empate mas as forças começaram a faltar e depois de uma reacção mais acesa o domínio voltou a pertencer à equipa orientada por Bert Van Marwijk, que por intermédio de Afellay até podia ter aumentado a vantagem em duas ocasiões.

Ao cair do pano, o recém entrado Okazaki podia ter vestido a pele de herói, mas o remate saiu ligeiramente por cima.

Com esta vitória, a Holanda soma seis pontos na liderança do grupo E e tem a passagem aos oitavos-de-final do Mundial 2010 praticamente assegurada.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.