A equipa de Reinaldo Rueda foi mais acutilante no segundo período, mas não conseguiu marcar nas ocasiões que criou, despedindo-se sem qualquer golo marcado, enquanto a Suíça também foi afastada dos oitavos de final muito por culpa da falta de objectividade no último terço do terreno.

Num jogo em que Olegário Benquerença foi o quarto árbitro, a Suíça precisava de repetir o triunfo por 1-0 frente à Espanha para se apurar, mas a verdade é que a impossibilidade começou a ganhar consistência logo nos minutos iniciais.

As Honduras, com David Suazo (actuou no Benfica em 2008/09) a titular, superiorizaram-se aos suíços no meio campo, não lhes dando espaço nem tempo para organizarem as ofensivas e procurando a baliza de Diego Benagio (jogou no Nacional) através de ofensivas rápidas.

Com o miolo do terreno com os caminhos tapados, a Suíça procurou as faixas, em particular a direita, para lançar acções atacantes, mas só conseguiu criar perigo aos 17 e 43 minutos, com Tranquilo Barnetta e Blaise Nkufo a falhar.

A equipa suíça precisava de marcar, mas as Honduras estiveram sempre mais perto do golo, mercê da superioridade no meio campo, o que criou espaços, que David Suazo quase aproveitou, aos 53 minutos.

O mesmo jogador, a passe de Johnny Palacios, aos 71 minutos, rematou e foi a mão esquerda de Diego Benaglio a evitar o golo das Honduras, que pecou sempre por complicar nos momentos decisivos na área contrária.

As Honduras chegaram mesmo a festejar o golo a oito minutos do final - Suazo marcou com a baliza deserta, a passe de Walter Martínez -, mas o árbitro considerou posição irregular. O adeus chegou pouco depois, com os suíços em terceiro e os hondurenhos em último, sem qualquer golo.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.