Entre os manifestantes estão muitos assistentes de recinto desportivo (ARD), que entraram em greve reclamando a falta de pagamento dos salários.

Na manifestação estão também pescadores, que não podem instalar-se no cais e vendedores de um mercado local, ameaçado de encerramento para dar lugar a um centro comercial.

“Se há dinheiro para construir estádios, não deveria haver para apoiar os sem-abrigo que vivem em barracas?”, questionou um dos organizadores.

O governo disponibilizou 33 mil milhões rands (cerca de 3,5 mil milhões de euros) para o Mundial de futebol da África do Sul, país onde 43 por cento da população vive abaixo do limiar da pobreza.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.