“Se a altura fosse o factor fundamental, então teríamos de trazer jogadores de basquetebol. Estamos totalmente preparados”, garantiu.

Por seu lado, Park Ji-Sung, médio do Manchester United que tramou Portugal em 2002, também desvalorizou a estrutura física da selecção grega, fazendo o mesmo relativamente a alguma falta de experiência dos jogadores sul-coreanos.

“Conheço bem a atmosfera dos grandes jogos, assim como muitos outros jogadores. Estamos descansados e preparados para o primeiro jogo”, disse.

Do lado helénico, o alemão Otto Rehhagel, seleccionador grego e campeão da Europa em 2004, em Portugal, considerou que a sua equipa está preparada para abrir da melhor forma o Mundial e garantiu que o apuramento periclitante “não abala a confiança”.

“O apuramento foi conseguido apenas no ‘play-off’, mas isso acontece com muitas as selecções”, disse Rehhagel, que desvalorizou também os assaltos feitos aos jogadores.

O médio Giorgios Karagounis, que jogou no Benfica de 2005 a 2007, disse que a Grécia aposta "forte na defesa" e garantiu que a Coreia do Sul é uma "equipa aguerrida e muito perigosa".

"Grécia e Coreia do Sul são equipas muito parecidas, que apostam na defesa e na pressão constante. Acredito que o jogo se decida num pormenor. Vamos iniciar o jogo a pensar em não sofrer qualquer golo e, depois, vamos avançando no terreno, de forma a tentar marcar", disse o ex-médio do Benfica.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.