Foi preciso chegar aos 34 anos para Hilário se poder estrear pela selecção nacional. Após este marco na sua carreira, o jogador acredita que tem todas as possibilidades de entrar nas contas do seleccionador nacional para o Mundial de futebol que se avizinha.

Em entrevista ao jornal A Bola, o guardião do Chelsea falou sobre o que sentiu no jogo Portugal - China, a sua estreia pela equipa das quinas: "Foi uma sensação fantástica, porque tinha o objectivo de representar a selecção nacional ao mais alto nível, depois de ter passado pelas equipas nacionais na formação. É uma honra vestir aquela camisola, seja numa grande competição ou num jogo particular com a China".

A chamada à baliza nacional não veio cedo, mas Hilário afirma que nuna desesperou pela chegada deste momento: "Sempre acreditei que seria chamado. Nunca desesperei. No futebol, como na vida, nunca é tarde para nada".

Cumprida a primeira internacionalização, o guarda-redes acredita poder ter novas oportunidades, tendo os olhos postos na África do Sul: "Acredito, embora ninguém tenha certezas. Só uma pessoa pode responder a isso, mas, sinceramente, acho que tenho possibilidades de ser um dos eleitos".

Sobre as aspirações de Portugal no Mundial de futebol, Hilário não traça uma meta mas gostava que a selecção fosse longe: "O Mundial é uma montra que Portugal tem de aproveitar para mostar ao Mundo o que tem de bom. Precisamos de maior expressão e na África do Sul temos óptima oportunidade de mostrar o género de povo que somos. Se Portugal for longe será bom para todos os jogadores e os jogadores gostavam de se sentir apoiados".

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.