“Toda a gente se ri de nós”, assegurou quase em lágrimas, o jogador do Bayern de Munique, depois de ter interrompido um directo com o seleccionador gaulês, Raymond Domenech.

O avançado pegou no microfone e deu a sua versão do que está a suceder com a selecção francesa, à beira da eliminação, e protagonista de vários escândalos.

“Há três dias que passamos momentos difíceis. Estamos a sofrer”, disse Ribery, acrescentando: “Não estivemos bem, não suámos a camisola. Contra o México (derrota por 2-0), tentámos fazer as coisas individualmente, e não como equipa”.

Ribery não confirmou as ofensas verbais de Nicolas Anelka, entretanto expulso da equipa, ao seleccionador no intervalo do jogo com o Uruguai, referindo que “o que foi dito, não foi o que se passou”.

O jogador do Bayern de Munique defendeu o companheiro, e disse ter chorado quando Anelka abandonou a concentração, garantindo que todo o grupo “está ao lado” do avançado do Chelsea.

“Não queríamos que fosse embora. Eu também já discuti com o técnico em algumas ocasiões, é algo que acontece nos clubes. Não é normal que alguém seja expulso por isso”, afirmou Ribery.

Com apenas um ponto no grupo A, a França precisa de golear a África do Sul, na terceira jornada, e esperar que Uruguai e México não empatem no outro jogo da “poule”, para garantir presença nos “oitavos”.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.