Em declarações à agência Lusa em Vanderbijlpark, “quartel-general” da selecção da Costa do Marfim, para a qual trabalha como observador dos adversários, Toni disse que “um aspecto relevante deste Mundial tem sido o bom trabalho feito pelas equipas de arbitragem”.

“O nível das arbitragens tem sido muito bom e é importante salientar isso porque os árbitros fazem parte do jogo, ajudam também ao espectáculo e eles têm dado uma nota muito positiva a estes jogos que vi neste Mundial”, referiu o técnico português, que foi 33 vezes internacional “AA” e 6 vezes internacional sub-21.

Em relação ao nível competitivo apresentado pelas equipas, Toni realçou que “nesta fase de grupos a maior parte dos jogos tem sido marcada mais pelo medo de perder do que pela vontade de ganhar, com excepção da goleada imposta pela Alemanha à Austrália (4-0)”.

“Isso é normal porque o primeiro jogo acaba por determinar muito daquilo que é a carreira de uma selecção numa competição curta como esta fase de grupos com apenas três jogos”, afirmou o técnico português.

Toni será hoje observador do Brasil-Coreia do Norte, no estádio de Ellis Park, em Joanesburgo, no dia em que são abertas as “hostilidades” no Grupo G com o Portugal-Costa do Marfim na cidade de Port Elizabeth, província do Cabo Oriental.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.