Gilberto Madaíl e Carlos Queiroz lideraram esta tarde uma comitiva da Federação Portuguesa de Futebol (FPF) na entrega de uma coroa de flores na estátua do navegador Bartolomeu Dias, no centro da Cidade do Cabo. A comitiva chegou ao local por volta das 16h15, sob uma forte escolta policial.

O líder da FPF registou o exemplo de Bartolomeu Dias como inspiração para a selecção nacional e frisou a confiança da equipa para o jogo de amanhã com a Coreia do Norte. "Estamos perfeitamente concentrados no jogo com a Coreia, confiantes e a cerimónia pública que aqui fizemos representra também a nossa determinação. Tal como Bartolomeu Dias quando dobrou o Cabo da Boa Esperança, nós também queremos dobrar este cabo", afirmou.

O responsável da Federação escusou-se a falar sobre jogadores e assegurou que "tudo está bem dentro da equipa e o ambiente é sereno", deixando uma mensagem de "esperança" para os adeptos: "Vamos atingir um porto seguro."

Gilberto Madaíl espera que o jogo com os norte-coreanos assinale a primeira vitória no Mundial 2010, mas já vislumbra um horizonte maior para a equipa das quinas. "O nosso objectivo é a passagem desta primeira fase, mas primeiro temos o jogo com a Coreia do Norte e depois com o Brasil", sublinhou.

As recentes palavras do secretário de Estado do Desporto, Laurentino Dias, sobre a selecção, onde afirmou que "deviam jogar mais e falar menos", não terá caído bem no seio da FPF, mas Madaíl furtou-se a comentários: "Não quero comentar isso para não ser desagradável."

O falecimento de José Saramago também foi sentido na equipa, que segundo o presidente da Federação estuda ainda uma forma de homenagem ao escritor. "Estamos a ver uma forma de exprimir isso em campo, mas os regulamentos da FIFA são muito rígidos. Portugal perdeu um grande vulto", concluiu.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.