“O Brasil é uma equipa muito difícil, é sempre uma selecção de nível mundial. Era o nosso primeiro jogo, e não nos correu muito bem. Cheguei a pensar que podíamos ganhá-lo, mas não foi possível”, afirmou o numero 9 da selecção da Coreia do Norte, que demonstrou uma domínio na língua portuguesa na zona de entrevistas rápidas.

O próximo encontro é com Portugal e Jong Tae Se demonstra ambição de vencer.

“Eu quero muito ganhar, assim como toda a equipa, mas sabemos que vai ser difícil. Portugal já não tem Eusébio, como em 1966, mas continua a ter grandes jogadores, como o Cristiano Ronaldo e outros. Vamos precisar de dois jogadores para marcar o Ronaldo”, disse.

Jong Tae Se chorou compulsivamente enquanto ouvia o hino do seu país e explicou ter sido “uma grande alegria representar a Coreia do Norte num Mundial”.
 
Ao fim da primeira ronda de jogos, Brasil ficou com três pontos, Portugal e Costa do Marfim com um e Coreia sem pontos.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.