Holanda e Camarões entraram em campo já com os seus destinos traçados. A ‘Laranja Mecânica’ – que hoje até joga de branco - foi muito precisa nos primeiros dois jogos e assegurou o apuramento com outros tantos triunfos. Já os Camarões conhecem apenas o amargo sabor da derrota e cedo carimbaram a viagem de regresso a casa.

Perante este cenário, os Leões Indomáveis tentaram rugir desde cedo, dispostos a limpar a imagem de uma equipa vergada pela eliminação precoce, somente para jogar pelo seu orgulho e dignidade.

A iniciativa pareceu apanhar de surpresa a equipa de Bert Van Marwijk nos primeiros minutos, que se viu temporariamente subjugada, ainda que longe de ser ameaçada. Com efeito, foram mesmo os holandeses a criar perigo pela primeira vez, através de Van Persie. O avançado do Arsenal isolou-se aos 19’ perante Souleymanou, mas atirou fraco.

Esse remate trouxe uma Holanda mais empenhada para o encontro e o perigo aproximou-se mais da baliza dos Camarões. Pouco depois de Makoun dar o último ‘grito’ de revolta africana contra o seu infortúnio, cabeceando por cima, foi Kuyt a rematar a rasar o poste.

Era o aviso holandês e Van Persie encarregou-se de assinar a sentença, numa boa jogada de entendimento com Van der Vaart, livrando-se de dois opositores e enganando o guardião camaronês.

Um golo apenas que assegura tranquilamente à Holanda o primeiro lugar do seu grupo, sem ter sequer de recorrer a Arjen Robben, já que Van der Vaart, Kuyt e Sneijder mostram-se em bom nível e oferecem todas as soluções à Laranja Mecânica.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.