Na véspera do jogo decisivo com a Suécia, o antigo internacional português e ex-selecionador de Portugal dos sub-21, Oceano Cruz, relembra ao SAPO Desporto um jogo disputado com os suecos em Solna, em que seleção portuguesa venceu por 1-0.

«Lembro-me de que naquela fase sofríamos muito em termos defensivos. Lembro-me também que o Futre fez um grande jogo. E lembro-me que ganhámos por 1-0», começa por recordar o antigo capitão do Sporting e da seleção nacional.

«As dificuldades que sentimos na Suécia foi acima de tudo o poderio físico deles. Tivemos muitas dificuldades no jogo aéreo, quando eles começam a meter as bolas na área começa a ser muito complicado, mas eu acho que esta seleção agora tem maior facilidade em relação ao que nós tínhamos em fazer a manutenção da bola. Nós agora temos jogadores que estão muito mais habituados a ter a bola, a tirá-la ao adversário e a fazer bons aproveitamentos de espaço. Acho que a nossa seleção está agora muito mais bem preparada para defrontar a Suécia», acrescentou o treinador de 51 anos.

Oceano elogia segunda parte de Portugal na Luz

A Suécia recebe esta terça-feira Portugal em desvantagem no play-off de acesso ao Mundial depois de perder 1-0 no Estádio da Luz. Oceano destaca a importância do triunfo obtido na primeira mão, e realça o facto de Portugal não ter sofrido golos.

«Acho que o mais importante do resultado da Luz foi ter conseguido uma vitória sem sofrer. Acho que o 1-0, hoje em dia, é um resultado extraordinário. Para uma seleção, como é a seleção portuguesa, que gosta de ter espaço para poder jogar acho que nós amanhã vamos ter mais espaço para jogar do que aquele que tivemos no Estádio da Luz. No jogo da primeira mão estivemos muito bem no aspecto tático na segunda parte onde a seleção sueca quase não teve oportunidades», frisou Oceano.

Questionado sobre a possibilidade de William Carvalho actuar esta terça-feira frente à Suécia, Oceano considera que há sempre essa possibilidade, uma vez que o médio do Sporting está entre os convocados, mas acredita que Paulo Bento aposte na mesma equipa que venceu a Suécia na passada sexta-feira.

«A convocação do William acaba por acontecer de forma natural devido ao que ele tem vindo a fazer esta época. Agora jogar amanhã vai depender daquilo que o Paulo Bento acha que ele pode trazer à seleção nacional. Na minha opinião pessoal, acho que a seleção não vai mudar muito. A equipa que jogou frente a Suécia no Estádio da Luz deu muito conta de si, fez um belíssimo trabalho, não só no meio campo, mas a equipa no seu conjunto. Não sei se será desta vez, mas estar no lote dos convocados há sempre uma probabilidade de ele jogar neste jogo», afirmou o antigo capitão do Sporting.

«Nesta equipa da Suécia o ponto mais frágil é a defesa», aponta Oceano

«A estratégia é fazer aquilo que temos vindo a fazer. É tentarmos ter a posse da bola. Tentarmos nas nossas transições que sejam feitas de forma rápida, até para aproveitar o balanceamento ofensivo dos suecos, porque acho que nesta equipa da Suécia o ponto mais frágil é a defesa e nós somos muito fortes no ataque, e há que aproveitar a vulnerabilidade da defesa sueca para fazer um golo porque acho que só fazendo um golo é que nós vamos para o ímpeto ofensivo da defesa sueca», afirmou Oceano na antevisão ao jogo da segunda mão frente à Suécia.

«Acho que os suecos querem fazer isso (alta pressão nos minutos iniciais). A nossa seleção tem personalidade porque em qualquer ambiente consegue pegar no jogo, consegue ter bola e consegue arrefecer qualquer ímpeto que o adversário tenha no jogo. É muito importante os primeiros minutos de jogo sem dúvida e vão tentar criar um ambiente terrível, mas estes jogadores estão mais do que habituados a este tipo de situações e portanto vão querer ter a bola como gostam de ter e acho que a nossa seleção não vai abdicar daquilo onde somos fortes que é manter a bola, trocar a bola entre os nossos jogadores, ter o controlo do jogo», acrescentou o antigo internacional português.

Em relação à presença de Portugal no Mundial do Brasil, Oceano mostra-se confiante com a qualificação dada a boa exibição da formação das quinas no Estádio da Luz.

«Tenho boas perspetivas apesar de saber que o jogo vai ser muito difícil, mas olhando para aquela segunda parte que a seleção fez na primeira mão acho que nos é permitido acreditar que é possível alcançar um bom resultado na Suécia.»

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.