Lionel Messi mostrou-se terça-feira muito satisfeito pelo apuramento da Argentina para o Mundial de futebol de 2018, selando com um triunfo por 3-1 no Equador, mas admitiu que chegou a temer ficar de fora.

“Estamos tranquilos, pois conseguimos o nosso objetivo, que é o mais importante”, disse o jogador do FC Barcelona, depois de apontar o seu primeiro ‘hat-trick’ nas eliminatórias, e quinto na seleção, com golos aos 12, 20 e 62 minutos.

Messi reconheceu, no entanto, que “não foi fácil” entrar para a última ronda no sexto lugar: “Fomo-nos metendo nesta situação e passaram-nos um monte de coisas pela cabeça. Tememos ficar fora”.

“Pouco tempo depois de arrancar o jogo, sofremos um golo, mas isso fez-nos reagir. Havia o medo de jogar aqui, pelo que significava a altitude (2.850 metros), mas, por sorte, demos a volta rapidamente e controlámos bem o jogo”, disse.

O ‘10’ argentino deixou claro que “todos querem que a seleção esteja bem” e prometeu “dar o melhor no Mundial e tratar de conseguir ganhá-lo”.

“Foi injusto o que se passou no Mundial (de 2014) e nas duas últimas edições da Copa Américas (2015 e 2016). Merecíamos ter ganhado as três finais. Oxalá, possamos ter nova oportunidade. Para já, temos de preparar-nos bem e pensar em melhorar”, frisou.

Antes de começar a preparar a prova marcada para a Rússia, de 14 de junho a 15 de julho de 2018, ainda há que festejar o apuramento: “Teria sido uma loucura a Argentina ficar fora do Mundial. Este grupo mereceu isto, pelo que lutou”.

“Há muito que se discute a qualidade deste grupo, apesar de termos jogado três finais. Era um dia especial, sobretudo para quem está há muito tempo neste grupo”, finalizou.

Quanto ao selecionador argentino, Jorge Sampaoli, afirmou no final do encontro que Lionel Messi é o melhor jogador da história do futebol.

“Messi não deve um Mundial à Argentina, o futebol é que deve um Mundial ao Messi. É o melhor jogador da história. Era muito ilógico que o torneio mais importante do Mundo não o tivesse”, disse o técnico argentino, na conferência de imprensa.

Sampaoli contou que todos queriam levar Lionel Messi ao Mundial: “Na palestra antes do encontro, dissemos que todos tínhamos que levar o Leo ao Mundial”.

“Fortalecemo-nos como grupo para lograr que ele se libertasse e pudesse mostrar tudo o que mostrou”, disse o selecionador argentino, após o seu primeiro triunfo nas eliminatórias, depois de empates com Uruguai, Venezuela e Peru.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.