A Argentina complicou esta terça-feira as suas contas do apuramento para o Mundial de futebol de 2018, ao empatar 1-1 na receção à lanterna-vermelha Venezuela, enquanto o Uruguai aproximou-se da Rússia, ao vencer por 2-1 no Paraguai.

Na 16.ª e antepenúltima jornada da zona sul-americana de qualificação, os argentinos, muito perdulários e desinspirados, estiveram mesmo a perder, por culpa de um golo de John Murillo, jogador emprestado pelo Benfica ao Kasimpasa, aos 50 minutos.

Pouco depois, aos 54 minutos, um autogolo de Rolf Feltscher, depois de um cruzamento da esquerda do ‘leão’ Acuña, entrado aos 25 para o lugar do lesionado Di Maria, restabeleceu a igualdade, mas, até final, a Argentina não logrou o segundo, apesar das insistências de Lionel Messi.

Se os argentinos desiludiram, o Uruguai acabou com uma série de quatro jogos sem ganhar, ao vencer por 2-1 no Paraguai, graças a dois golos felizes, de Federico Valverde, aos 76 minutos, com desvio num defesa, e de Gustavo Gómez, na própria baliza, aos 80.

Aos 88 minutos, os anfitriões ainda reduziram, por Ángel Romero, e tentaram tudo para chegar ao empate, mas os uruguaios seguraram o segundo triunfo fora.

Com este resultado, o Uruguai subiu ao segundo lugar da tabela, com 27 pontos, mais um do que a Colômbia, que baixou ao terceiro, ao empatar 1-1 na receção ao líder e já apurado Brasil.

Um golo do avançado Radamel Falcao, jogador do Mónaco, aos 56 minutos, de cabeça, após centro da direita do ex-‘leão’ Santiago Arias, ‘anulou’ o tento do brasileiro Wyllian, um ‘tiro’ de fora da área, aos 45+2, depois de um passe de Neymar.

O Brasil, único totalista em mundiais, não conseguiu manter a perfeição na ‘era’ Tite em jogos oficiais, mas segurou a invencibilidade, passando a contabilizar nove triunfos e um empate em jogos a sério desde a chegada do novo selecionador.

Ao quarto posto, o último que vale o apuramento direto, ascendeu o Peru, ao vencer por 2-1 no Equador, com o vimaranense Hurtado a faturar.

Em Quito, os peruanos adiantaram-se aos 73 minutos, por Edison Flores, servido por Andre Carrillo - jogador emprestado pelo Benfica ao Watford -, que, aos 74, cedeu o lugar a Hurtado, para este apontar o segundo dos forasteiros logo a seguir, aos 76.

Aos 79 minutos, Christian Ramos viu o segundo amarelo e deixou o Peru com 10 unidades, numa jogada que valeu aos anfitriões um penálti, que Enner Valencia transformou, aos 80. Os peruanos conseguiram segurar a vantagem até final.

O Peru passou a somar os mesmos 24 pontos da Argentina (têm vantagem nos golos marcados – 26-25 contra 16-15), que se manteve no quinto posto, de acesso a um ‘play-off’ intercontinental com a Nova Zelândia, vencedora da Oceânia.

Para fora dos lugares de apuramento, caiu o Chile, bicampeão sul-americano em título, ao perder por 1-0 com a já eliminada Bolívia, em La Paz, por culpa de um penálti apontado por Juan Carlos Arce, aos 59 minutos, a castigar mão de Marcelo Diaz.

Os chilenos, agora sextos, contam menos um ponto do que Peru e Argentina, mais dois do que o Paraguai e três face ao Equador, seleções que ficaram em situação delicada. Apesar das surpresas, Bolívia e Venezuela estão fora da luta pelo apuramento.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.