No regresso aos treinos da seleção espanhola para os jogos de qualificação europeia para o Mundial 2018, Gerard Piqué foi bastante insultado pelos adeptos.

Recorde-se que Gerard Piqué, um dos mais acérrimos defensores da independência da Catalunha, deixou fortes críticas ao governo espanhol, no final da vitória do Barcelona sobre o Las Palmas, que, recorde-se, decorreu à porta fechada devido ao referendo sobre a independência da Catalunha.

"Neste país, durante muitos anos de franquismo, não se podia votar. Sou e sinto-me catalão e hoje, mais do que nunca, sinto-me orgulhoso das pessoas na Catalunha que se comportaram de forma maravilhosa nestes setes anos, em que não houve qualquer (emociona-se e demora a concluir)... violência e hoje veio a Polícia Nacional e a Guarda Civil Espanhola, que atuaram desta forma. Estamos num país que tem um chefe de governo (Mariano Rajoy) e um partido (PP) que utiliza todos os meios para mentir. (...). Foi uma das piores decisões dos últimos 50 anos e só vai separar mais a Catalunha da Espanha, mas temos um primeiro-ministro que tem o nível que tem, que nem sabe falar inglês", criticou.

O central admitiu ainda a possibilidade de renunciar à seleção espanhola. "Se Lopetegui ou a Federação pensam que sou um problema, não tenho problemas em dar um passo atrás. Representar a seleção não é uma questão de patriotismo", sublinhou.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.