O selecionador do Japão, Akira Nishino, confessou estar "devastado", depois da sua equipa nipónica ter consentido a reviravolta no resultado à Bélgica (de 2-0 para 2-3), que culminou com a eliminação dos japoneses do Mundial 2018.

"Não quero admitir, mas isto é uma tragédia e vou ter de a aceitar como um facto. Estou devastado. Estivemos na frente, sim, mas não ganhámos e isso faz toda a diferença. Talvez tenham sido as minhas decisões ou estratégias, não conseguimos aguentar a Bélgica depois do 2-0. Não fiz substituições, queria o terceiro golo porque sentia-nos por cima do jogo", disse o selecionador japonês.

"Os meus jogadores estiveram muito bem, melhor do que nos jogos anteriores. Eles estavam confiantes e hoje efetuaram uma bela exibição. Nós jogámos bem, mas trata-se de ganhar", prosseguiu.

"Infelizmente, os belgas marcaram quando precisaram. Assumo a culpa pela minha tática. Disse aos jogadores para irem para o banho, porque estavam prostrados no balneário. Falarei com eles quando regressarmos ao hotel", terminou.

Um golo de Nacer Chadli, aos 90+4 minutos, valeu à Bélgica um triunfo por 3-2 sobre o Japão e o apuramento para os quartos de final do Mundial de futebol de 2018, em Rostov do Don.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.