Portugal e Espanha foram ilibados das suspeitas de troca de votos com o Qatar, nas candidaturas aos Mundiais de futebol de 2018 e 2022, anunciou hoje o presidente da Comissão Ética da FIFA, sublinhando que “não há provas”.

“Depois de investigar as suspeitas contra Portugal e Espanha não encontrámos bases para demonstrar que houve conluio”, disse Cláudio Sulser em relação a um possível intercâmbio de votos com o Qatar, que concorre à organização do Mundial de 2022.

Ainda em relação à candidatura ibérica, cujo foco está na organização de 2018, as suspeitas foram desencadeadas por declarações prestadas por Michen Zen-Ruffinen, antigo secretário-geral da FIFA, a dois jornalistas do Sunday Times, que fizeram passar por representantes de uma sociedade que trabalharia para a candidatura norte-americana.

“Eles começariam com sete (votos), o que não seria esperado pelos outros candidatos. Isto não é um rumor, é um facto”, disse Zen-Ruffinen, sem saber que estava a ser filmado.

Com decisões pendentes estavam os membros do comissão executiva Reynald Temarii, do Tahiti, e Amos Adamu, da Nigéria, que foram suspensos por um e três anos, respectivamente, estando inibidos de exercerem actividades ligadas ao futebol.

Os dois dirigentes tinham sido filmados de forma encoberta a, aparentemente, oferecer os seus votos em troca de verbas para projectos ligados ao futebol nos seus países, apesar de terem reiterado sempre a sua inocência.

“Não tenho dúvidas de que votarei a 2 de Dezembro”, afirmou Reynald Temarii, o vice-presidente da FIFA suspenso, em declarações à Associated Press, na última semana, sublinhando que as entrevistas foram “manipuladas de forma grosseira” para o fazer passar por corrupto.

Além da suspensão, Adamu terá de pagar uma multa de 10 000 francos suíços (7400 euros), enquanto Temarii terá que suportar uma de 5000 francos (3700 euros).

No processo a Comissão de Ética suspendeu ainda mais quatro funcionários do organismo: Slim Aloulou (dois anos), Ahongalu Fusimalohi (três anos), Amadou Diakite (três anos) e Ismael Bhamjee (quatro anos).

O anúncio dos organizadores escolhidos para os Mundiais de 2018 e 2022 será feito a 2 de Dezembro, em Zurique.

O relatório de avaliação aos países candidatos, divulgado na quarta-feira, colocou a candidatura ibérica em posição privilegiada face às suas concorrentes: Inglaterra, Rússia e o projecto conjunto de Holanda e Bélgica.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.